Imóvel – Comprar à vista ou financiar?

Imóvel – Comprar à vista ou financiar?

A compra de um imóvel é um procedimento muito sério, que exige responsabilidade e atenção por parte dos compradores. De acordo com a situação do mercado, o comprador depende das intempéries financeiras, se adaptando às mudanças do setor para garantir uma compra confiável que não acabe acarretando problemas ao seu bolso.

Entre detalhes como valorização imobiliária, situação de custo, expectativas do mercado, entre outros, o comprador também precisa se preocupar com o modo de compra, garantindo que está fazendo um negócio seguro e livre de qualquer risco econômico.

Nesse caso, a principal dúvida se estabelece na mente dos investidores: Será que é melhor pagar de uma vez ou financiar o imóvel, no ato da compra?

Independentemente de sua situação financeira, a dificuldade em decidir sobre esses aspectos é grande, pois culmina em decisões delicadas a serem tomadas. Levando em consideração as duas hipóteses, vamos entender um pouco mais sobre as duas formas de negócio no mundo dos imóveis e descobrir qual seria a melhor solução para você!

Confira!

Opinando pela vantagem

Lembramos que o importante ao comprador com o sonho da casa própria é considerar diversas variáveis, colocadas na ponta do lápis, para analisar vantagens e desvantagens de cada método.

Além desses pontos específicos, é importante não tratar essa situação de forma radical: Nenhum dos métodos é 100% melhor do que o outro, por isso, não podemos analisar essa decisão de forma extremamente limitada. Analisando seu perfil, seus objetivos e suas necessidades, faça uma escolha que pese os dois lados da moeda, sem envolver o extremismo.

O conforto, a segurança e a estabilidade são qualidades que devem ser oferecidas pelo ambiente escolhido, assim como no método de compra do mesmo; Garanta uma compra responsável analisando possibilidades criteriosamente.

Prós e contras do financiamento de imóveis

casa_e_calculadora

Aos compradores que não conseguem trabalhar com poupanças, vale a pena considerar o financiamento para comprar sua primeira casa. Comparando o valor de aluguel atual, além de suas contas e despesas, com o valor do financiamento, você pode fazer um bom negócio que não ofereça riscos ao seu investimento.

Permitindo um consumo antecipado, o financiamento pode sair mais caro, mas garante a compra antecipada do imóvel, fazendo com que você se mude rapidamente ao novo imóvel. Ainda nas vantagens, o financiamento pelos grandes bancos permite o uso do FGTS, desde que o imóvel atenda todas as exigências.

Uma outra vantagem que considero é a possibilidade de “congelar” o preço do imóvel, já que, a partir do momento que o contrato de financiamento com o banco é assinado, você fica protegido contra altas nos preços.

Há alternativas muito boas para quem deseja comprar o seu imóvel financiado, principalmente se for o primeiro. A melhor alternativa de financiamento de imóveis é através do programa do governo federal “Minha Casa, Minha, Vida”, onde os juros cobrados são muito baixos.

É muito importante pesquisar bastante e ter paciência na procura do imóvel ideal para você e sua família. Para quem paga aluguel, é possível achar imóveis onde o valor da parcela mensal do imóvel pode ser equivalente ao valor do aluguel pago todo mês.

Entre os principais contras do financiamento, enfrentamos a presença de juros, que são muito altos no Brasil. Porém, como foi citado anteriormente, imóveis de baixo a médio valor que podem ser financiados através do programa “Minha Casa, Minha, Vida” possuem baixíssimos juros e devem valer a pena de serem financiados.

Vantagens e desvantagens da compra à vista de imóveis

Se você possui o valor para compra do imóvel que deseja à vista, considerando opções de aluguel, pode ser uma boa ideia realizar uma compra paga na hora. Aos compradores que conseguem poupar, a compra à vista pode ser  útil.  Além da poupança ser mais prática do que o financiamento, você pode evitar valores abusivos de juros e taxas.

É importante salientar também que os bancos só autorizam financiamentos em que comprometa, no máximo, 30% da renda familiar. Isso acaba limitando o valor do imóvel que você conseguirá financiar. Já quando você poupa para comprar a vista, você quem dita as regras de quanto você juntará mensalmente.

Nos contras, podemos considerar o tempo que leva para a compra à vista: Como imóveis são bens de alto valor, a compra à vista pode demorar muito. Uma boa prática, nesses casos, é fazer um híbrido entre poupança e financiamento, dando uma entrada de destaque e financiando o restante, evitando qualquer tipo de dependência ou compromisso estendido com a dívida.

Por último, friso que é fundamental que a parcela a ser financiada caiba no seu bolso. Portanto, a primeira coisa a se estabelecer é o valor que você deve poupar. Responda às seguintes perguntas antes de tomar qualquer decisão:  quanto custa o imóvel que você quer? De quanto terá que ser a entrada para que você consiga financiar o restante com a sua renda familiar sem precisar passar sufoco? Quanto custam as taxas referentes ao imóvel e os ajustes ou reformas que você precisará fazer?

Tenho uma pergunta para você…

O que você achou desse post? Concorda ou discorda?

Sei que esse é um tema um pouco polêmico e a decisão na verdade é muito pessoal. Gostaria muito de saber sua opinião sobre o assunto. Quanto mais discutirmos, mais aprenderemos.  =D

Um abraço e deixem suas dúvidas e comentários.

Sobre Tiago Miranda Costa

Engenheiro Civil com MBA em gerenciamento de projetos, sócio fundador da Concretize Construções e Incorporações em Natal-RN desde 2008. Apaixonado por temas como empreendedorismo, marketing digital, produtividade e por descobrir maneiras de ajudar outras pessoas de maneira escalável.

Comentários

468 ad